segunda-feira, 12 de junho de 2017

Angelo nasceu!!! (post gigante!)

O parto do Angelo foi "idealizado" muito antes de ele próprio ser pensado...
Sofia nasceu em 2004, num parto normal totalmente induzido e cheio de violências obstétricas. Cheguei à maternidade com 2cm de dilatação e contrações de treinamento (que eu não sabia que eram de treinamento). Médico de plantão fez o toque e descolou a placenta (VO1); mandou eu ir passear e comer alguma coisa, pq depois que eu internasse não comeria mais nada. Fui passear, comi um pão de queijo e um suco de laranja... voltei e fui internada meio dia. Duas enfermeiras me levaram pra um quarto, onde tomei um banho e uma das enfermeiras raspou meus pelos (desnecessário); fui para o pré-parto e já me injetaram o "soro" = ocitocina sintética (VO2); como a bolsa não estourou quando eles achavam que era o ideal, me mandaram abrir as pernas durante alguma contração, pois iam estourar e, como eu não conseguia manter as pernas como eles queriam, me xingaram... e, por fim, conseguiram estourar (VO3); com 9cm de dilatação me levaram para o centro cirúrgico e me aplicaram a anestesia (será q era necessário mesmo?), que fez com que eu não sentisse mais a dor ou as contrações e eu não sabia a intensidade da força que estava fazendo, mas soube que não era suficiente, já que o médico empurrou a minha barriga pra baixo (VO4), fizeram episiotomia (VO5) e usaram fórceps tbm. Mas, enfim... Sofia nasceu, às 17:37hs do dia 20/11/2004.
Gostaria de acrescentar que qualquer Violência Obstétrica deixa de ser isso quando a mulher é avisada do procedimento, questionada e aceita o mesmo.

Em 2010 eu fui convidada para trabalhar voluntariamente no Informativo da ONG Bem Nascer e foi fantástico, pois aprendi muito sobre o parto natural e decidi que se eu tivesse outro filho, seria o mais natural possível.

Quando eu e Sandro começamos a falar de ter um filho, eu sempre falava dessa opção de parto, o que o deixava meio maluco, ele não conseguia aceitar bem, não... Mas ano passado, quando a gravidez foi confirmada e eu confirmei a minha opção de parto, foi uma loucura...
Descobri que só conseguiria o meu tão idealizado parto natural se eu pagasse pela disponibilidade da minha médica (que apoia o parto natural, até certo ponto rs), que não cobrava caro, na verdade, mas que só atende em dois hospitais e o meu plano até cobre, mas nenhum dos dois estavam dentro das minhas escolhas... Então acabei desistindo dessa ideia e optando pelo Sofia Feldman. Só que... ele é 100% SUS e passou por uma tremenda crise durante um período da minha gravidez... o que aumentou a desconfiança do Sandro e fez a minha vontade de ir pra lá despencar... Então marquei uma visita no Mater Dei, que atende pelo meu plano de saúde e é visto como hospital "amigo da criança". Mas não gostei... a moça que nos guiava na visita me olhava com cara de "essa mulher é louca" sempre que eu perguntava algo relacionado ao parto natural e quando ela mostrou o centro cirúrgico e eu perguntei como seria se eu não quisesse parir deitada e ela falou que eu teria que ter sorte no plantão... eu soube que não ia pra lá!

Nesse meio tempo eu fui "apresentada" (via whatsapp) à Fernanda, que se tornou minha doula. E tbm recebi orientação de procurar a Angelita, enfermeira obstetra do Sofia Feldman, que poderia me guiar numa visita pela maternidade. E num determinado dia eu consegui convencer o Sandro e fomos. Acabamos chegando num momento conturbado, com a maternidade cheia e com pessoas que não entendem muito bem o trabalho do Sofia Feldman, mas que são encaminhadas para lá... Uma dessas pessoas estava fazendo escândalo na porta. Mas, enfim... depois de nos assustarmos e chegarmos à conclusão de que não seria uma boa ideia para nós, depois de eu ficar muito triste por achar que teria que optar por uma maternidade cesarista ou que apoia induções, Angelita chegou e nos apresentou tudo o que pôde. Nos deixou mais tranquilos e confiantes... Mas o melhor foi, ao sair de lá, Sandro dizer que se eu quisesse ir pra lá, ele me levaria! Minha felicidade voltou!

Angelo estava com duas previsões para nascer... De acordo com a última menstruação, ele completaria 40 semanas em 16/05. De acordo com o ultrassom de 12 semanas, ele completaria as 40 semanas em 06/05.

No dia 06/05 a Fernanda ofereceu para mim e outra gravidinha um chá de bênçãos e foi lindo! Mas eu imaginava que de lá eu iria direto para o Sofia Feldman, mas não aconteceu...
O que aconteceu foi que, chegando em casa, o tampão saiu. E eu fiquei toda feliz, achando que já aconteceria durante a semana... Mas não aconteceu também! rs
Dia 12/05 (sexta) eu tive consulta pré-Natal e... nada de dilatação e colo estava fechado!
Dia 15/05 (segunda) fui ao hospital que a GO atende para fazer o cardiotoco. Tudo ótimo com bbzim, mas nada de dilatação e colo continuava fechado... :(
Mas pior mesmo foi ouvir a GO dizer que infelizmente, se o Angelo não nascesse naturalmente até o dia 22 (próxima segunda), teria que induzir o parto pois, de acordo com as contas (pela DUM), eu já entraria na 41ª semana e aí já seria mais arriscado para ele... A indução ocorreria com comprimidos, no hospital, e eu teria que ficar internada durante o processo, que poderia levar até 3 dias. Caso mesmo com a indução não tivesse possibilidade de parto normal depois dos 3 dias, teríamos que recorrer à cesárea. Chorei muito quando cheguei em casa e Sandro falou que era pra me acalmar, pois só Deus sabe das coisas e Ele faria o melhor por nós.
Terça e quarta me senti melhor e mais confiante, mas na quinta... estava mal de novo... mas depois de conversar com algumas poucas amigas via whatsapp, fiz o que me recomendaram: me animei e passei a conversar com o Angelo, dizendo que estava pronta para ele chegar. E aí arrumei a casa também, pra ele chegar e estar tudo limpinho. Às 17hs eu comecei a sentir cólicas, mas não comentei com ninguém, com medo de ser um alarme falso e ficar criando expectativas. Mas as dores aumentaram e eu tive certeza de que estava começando alguma coisa, mas que poderia ainda levar uns dias... Às 20hs chamei a Fernanda no whatsapp, dizendo que estava "com uns sinais". Os pródromos começavam mesmo! E só aí contei pra minha mãe, pro Sandro, pra Sofia e pra tia Rosi.
Na sexta feira pela manhã, Sandro tinha duas consultas de rotina e eu o acompanhei. Aproveitei para caminhar, ne? E foi tudo bem... ele me fez rir várias vezes! E por sorte, uma das médicas deu a ele atestado para o dia inteiro (era necessário mesmo) e ele acabou ficando em casa comigo... eu achei que não ia precisar, mas a presença dele em casa foi essencial!
Às 17hs a Fernanda perguntou se em repouso as contrações paravam... nada! Elas não paravam mais... e a Fernanda disse "pelo que me fala não são pródromos. Fase latente do trabalho de parto. Início. Mas essa fase pode durar também". ÓTIMO!!!
Mas aí o que eu temia aconteceu: eu não conseguia contar o tempo das e entre as contrações! Fiquei com medo disso me avacalhar! Mas segui confiando no meu corpo e nas orientações da Fernanda.
Às 21hs eu me deitei pra tentar descansar entre as contrações e consegui. Mas aí eu soube que aconteceu um acidente na estrada que liga a cidade onde moro a BH... única estrada que poderia me levar à maternidade e então fiquei apavorada! Pedindo a Deus que as coisas se resolvessem até a hora que eu precisasse sair de casa.
À meia noite eu levantei para tomar um banho. Sofia foi dormir e Sandro veio me perguntar como eu estava: "Bem, mas já é hora de irmos para o hospital". E aí terminei o banho quente, repassei mentalmente as malas, deixei Sofia na casa da tia Rosi e saímos de casa às 1:20hs. Fomos devagarinho por causa do acidente mas, principalmente, porque chovia. Graças a Deus já não tinha mais sinais do acidente na estrada!
O Sofia Feldman fica BEM longe da minha casa... mas foi a minha opção, acatada pelo Sandro. E a Angelita estava de plantão naquela noite. Foi tudo bem providenciado! E eu fui o caminho inteiro pedindo a Deus que eu já estivesse com pelo menos 5cm de dilatação, pois assim a internação era certa.
Chegando no Sofia Feldman, passei pela admissão. A enfermeira que me atendeu explicou que teria que induzir o parto do Angelo também, pois ele já estava na 42ª semana (elas contam pela US de 12 semanas, pq a DUM pode falhar com muita facilidade, principalmente pra mulher que não tem o ciclo reguladinho, como eu). Mas quando ela me avaliou, eu já estava com 6 cm de dilatação! Uhuuu Ainda assim ela descolou a placenta (com minha autorização), mas a minha internação era certa, pelo tempo de gestação.
Fui para o pré-parto às 03:20hs e Sandro me acompanhou. Como tive confirmação de Streptococos B, tinha a opção de tomar o antibiótico durante o TP, para tentar evitar contaminação pela bactéria no parto. Quando a enfermeira aplicou o antibiótico na veia, foi de pronto: vomitei na hora! E aí fiquei louca pra tomar um banho. Quando perguntei se poderia, a enfermeira disse q sim e que logo já me buscava pra suíte de parto, pois já tinha uma disponível. E nisso a Fernanda já estava a caminho do hospital. Preferi esperar pra tomar o banho na suíte.
Às 4:30hs, indo para a suíte de parto, encontrei a Fernanda no caminho. Acho q Sandro ficou mais feliz que eu! Ele foi buscar as malas no carro e depois ficou no corredor esperando.
Na suíte, fui direto para o chuveiro quente. A enfermeira Rebeca se apresentou e disse que me acompanharia durante meu TP. Gracinha, ela!!! De tempo em tempo ela me perguntava se podia verificar o coraçãozinho do Angelo.
Eu já sentia muita vontade de fazer força quando entrei na suíte. Fernanda pegou meu kit higiene e eu tomei um banho caprichado, escovei meus dentes... depois de um bom tempo ali, agachando quando vinha a vontade de fazer força, saí e pedi a banheira...
A Fernanda colocou minha playlist no meu celular e só lembro que eu ia relaxando na banheira e cantando junto, mas não sei que músicas cantei! rs

Fiquei não sei quanto tempo na banheira, porque não sei que hora entrei... mas perto das 7hs da manhã a Rebeca me avisou que seu plantão estava acabando e que deveria ter verificado a dilatação às 6:30hs, mas achava que ia conhecer o Angelo e por isso não tinha feito o toque, mas precisava verificar. Aí eu saí da banheira e ela verificou e falou: "Telma, você já está com dilatação total, 10 cm! E com a bolsa íntegra!" E eu que estava quase pedindo uma analgesia (não por causa da dor, mas pelo cansaço), me animei e pensei "vou pedir nada! Já tá acabando!"
Mal imaginava eu que aquilo era "só o começo" e o cansaço ainda seria maior... rs
Enfim. Dali colocaram o arco na cama e eu agachei e fui fazendo força. Em uma delas a bolsa estourou de uma vez só e eu tomei um susto e caí na risada!
A Rebeca se despediu de mim, finalizando seu plantão... fiquei triste, porque ela realmente é um anjo! Mas chegaram mais dois pra me acompanhar: as enfermeiras Priscila e Débora.
Voltei para o chuveiro e, como todo mundo já via sinais do Angelo, colocaram o banquinho pra me ajudar... quem sabe ele nasceria no chuveiro? A Angelita apareceu para ver como estavam as coisas, pois o plantão dela tbm tinha acabado e quando falaram pra ela que eu estava com 10 de dilatação, ela comentou "e ela tá ali rindo e conversando desse jeito?" Só pude dar mais uma risada, ne? rs
E eu fazia muita força, a Fernanda lembrou às enfermeiras que eu queria que amparassem meu períneo quando o Angelo nascesse e a Priscila ofereceu me ensinar como fazer e tbm que eu o pegasse, caso ele nascesse ali. Eu aceitei, mas não foi ali ainda...
Voltei para a cama, agachada de novo e MUITO cansada... quase desanimada, quase com vontade de pedir analgesia... mas me mantive ainda. Até que a Priscila falou que se eu quisesse deitar e descansar um pouco, eu poderia fazer isso, que deveria ficar à vontade. E foi o que fiz... deitei de lado e consegui até dormir um pouco!
Quando "acordei", estava com energia renovada! Mas eu não conseguia mais ficar agachada e não sabia qual seria a melhor posição. As enfermeiras ofereceram colocar um lençol no arco, que eu poderia puxar na contração, aumentando a minha força. Aceitei e foi realmente ótimo! As meninas falaram que já viam a cabecinha do Angelo, mas durante o acompanhamento dos batimentos dele, perceberam que durante ou depois (não lembro) da contração, os batimentos dele caíam... e então me ofereceram oxigênio para reforçar a oxigenação para ele. Eu aceitei, claro! Quando a Fernanda falou que mais três forças e o Angelo nasceria, uma energia nova me encheu! Respirei bem o oxigênio e fiz uma força imensa!! Senti o famoso "círculo de fogo", que é o que anuncia a passagem da cabecinha e, finalmente, lá estava a cabeça do meu bebê! Com uma circular do cordão no pescoço! Com toda paciência e cuidado do mundo, a Priscila tirou o cordão e esperamos a próxima contração... que veio e eu repeti a mesma força (ou um pouco mais), para que o Angelo pudesse vir logo ao mundo! E veio, com o cordão enrolado nos dois braços e cheio de mecônio nas pernas e costas, às 8:13hs.
A pediatra foi chamada (para avaliar o risco por causa do mecônio, mas não tinha nenhum) e logo que iam chamar o Sandro, ele já estava na porta porque ouviu a pediatra ser chamada e ficou preocupado.

Sabor de vitória! Emoção pura e muito amor!!!


A Priscila e a Debora limparam o excesso de mecônio do Angelo e logo ele veio para meus braços. Reconheceu nossas vozes. Chorou. Mamou... Várias vezes as enfermeiras me perguntaram se eu continuava sentindo alguma contração (principalmente quando Angelo começou a mamar), pois seria sinal da placenta saindo. Mas eu não sentia nada realmente "considerável". Depois de 40 minutos do nascimento do Angelo, a Priscila perguntou se poderia verificar, pois achava que a placenta estava no "meio do caminho" e aí eu não teria mesmo contrações para expulsá-la. E realmente estava... e, com a minha autorização, ela puxou pelo cordão (que já tinha parado de pulsar) e logo ali estava a placenta.
Pedi para tirar a foto do Angelo com a placenta e, com todo carinho, a Priscila e a Débora forraram a cama (pra esconder o sangue, que não precisava aparecer na foto, ne? rs) e posicionaram placenta e bebê. A Fernanda fez o coração com o cordão e tirou as fotos para mim.

Depois de tirar a foto, perguntaram quem ia cortar o cordão... Sandro nem estava na suíte mais, nervoso por causa da placenta, rs... Então eu mesma cortei o cordão. Avisei ao meu pequeno que ia separá-lo daquele cordãozinho, pois ele já não precisava mais, pois seria eu a alimentá-lo dali pra frente.

A equipe de pediatria já estava de prontidão, mas esperaram todas as minhas vontades... rs Recusei o colírio de nitrato de prata, mas aceitei a vitamina K. Enquanto elas avaliavam o Angelo, eu fui avaliada: laceração ZERO!!! Algumas escoriações, mas nada de grave ou que precisasse de um cuidado especial. E então fui tomar um banho.Enquanto eu tomava banho com o apoio da Fernanda (por causa da fraqueza, nem podia ficar sozinha), me avisaram que Angelo nasceu com 50cm e 3800g!!


Enquanto esperávamos a liberação para irmos pra enfermaria, namoramos o pequeno mais um tantinho...
Papai babão, bebê Angelo, eu e a tia Fernanda
Pq depois de passar com a gente por tudo isso, ganha o status de tia mesmo!
A Débora nos levou até a enfermaria e tivemos a sorte de conseguir um cantinho bem lá no fundo, perto da janela e bem reservado! A Fernanda ainda ficou com a gente por um tempinho... Essa moça merece grandes bênçãos em sua vida!!! Deixou seus dois pequenos em casa, com outra pessoa, para ir nos ajudar. É muito amor mesmo!!!

De tempos em tempos vinha alguma enfermeira nos avaliar, com todo respeito, cuidado e carinho. Equipe super atenciosa!
Papai babão em sua "cadeira-cama"

Já dá pra saber se parece com alguém? Eu acho a cara do pai... rs
No domingo, o primeiro banho...
Mamãe já sabe como funciona, mas depois de 12 anos,
a insegurança bate um pouco... mas deu tudo certinho! :)

Já dou lá meus sorrisinhos!!
Por causa do Strepto positivo, nós ficamos 48hs para observação. Essa bactéria pode causar várias coisas no bebê (mais informações aqui) e por isso precisamos ficar um dia a mais... estávamos cansados, loucos pela nossa cama (principalmente o Sandro), mas a gente precisava ficar, ne?

Durante o período de internação, Angelo recebeu as duas primeiras vacinas (BCG e Hepatite B), fez os testes do coraçãozinho, linguinha, icterícia, audição e foi registrado (e já saiu de lá com o número de CPF!!!). Na segunda feira dei o banho nele e já o deixei pronto para irmos embora... ÀS 8:30hs estávamos prontos, mas só fomos embora quase meio dia rsss

Chegando em casa, Sofia preparou uma surpresa para nós... 💕
Eu ADOREI, pq esses biscoitinhos dela, agora com gotas de chocolate tbm, ficam perfeitos!!!


Sei que o post ficou gigantesco, mas olha... eu já reescrevi esse post várias vezes, tentando reduzir o texto... mas é difícil e a emoção é grande! Sou detalhista também... Ainda pretendo fazer um post mais específico sobre o Sofia Feldman e depois um outro post sobre o puerpério... Vamos ver se sai! rsss

E hoje Angelo já está com 24 dias e posso dizer que ainda estamos nos adaptando, mas amando muito... tem dias mais difíceis que outros, mas no geral ele realmente é um anjinho...

6 comentários:

  1. Ahhh o texto foi grande??? Nem percebi, pq escreve tudo com tanta precisão que é como se eu estivesse lá...
    Telminha, eu sou cagona e mole, ñ sei se encararia essa, mas desde que me falou do seu desejo, torci a cada segundo para que desse tudo certo e realizasse seu sonho. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Que lindo Tetel. Mas confesso que me emocionei com os biscoitos da Sofia.

    ResponderExcluir
  3. Emocionante! Parabéns Telma!! Como ele esta grande. Bjs

    ResponderExcluir
  4. <3 que delicadeza, que bebê lindo <3 Vou compartilhar! Saúde e vida longa para vcs quatro! (quando eu te conheci, eram duas, agora são quatroooo)

    ResponderExcluir
  5. Que lextão lindo, Telma e emocionante!!! Uma experiência fantástica! Gratidão por compartilhar conosco, lembrei de quando foi.minha vez a 13 anos atrás, mas sem tanta atenção, carinho e capricho como vc teve nesse hospital! Muita luz a todos! E uma super beijoka !

    ResponderExcluir
  6. Que relato mais lindo e emocionante, Deus abençoe vocês hoje e sempre amiga.

    ResponderExcluir